terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

1º Dia I-Grande Clamor pelos Encarcerados e Familiares

A manhã deste dia 16 foi especial para os familiares dos encarcerados de Santa Catarina.O bispo Carlos Alberto Pinho juntamente com sua equipe de fé, realizou um Grande Clamor pelos Encarcerados e seus familiares que estiveram buscando através da fé a transformação dos seus entes queridos que estão presos.
Após o culto os familiares receberam atendimento especial.











quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Livro do Bispo Macedo Nada a Perder 2 chega aos presídios de Santa Catarina

Mais de 4.000 exemplares do livro Nada a Perder 2, doados pelos membros da Universal de Santa Catarina em 2013 já estão sendo entregues aos detentos em todo o Estado.
O Bispo Carlos Alberto Pinho responsável pelo trabalho da Universal no Estado deu início a distribuição dos livros no mês de Outubro. 













quarta-feira, 31 de julho de 2013

UNIVERSAL - ALÉM DAS GRADES

"Agora pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte."  Romanos  8.1,2.

A tarde desta 4ª feira (31.07) ficou marcada como um dia muito especial na vida de 25 reeducandas do presídio feminino Santa Luzia em Alagoas.
Elas entregaram as suas vidas ao Senhor Jesus através do batismo nas águas.
"Todas vocês estavam mortas espiritualmente por causa do pecado em que viviam mas, quando descerem às águas batismais e passarem à viver de acordo com a palavra de Deus o Espírito da vida te fará livre de toda condenação.
Não importa o que você fez até aqui, à partir desse momento você vai iniciar uma nova vida em Cristo Jesus."
Afirmou o pr. Herlon Mendes, que em seguida serviu a Santa Ceia do Senhor.
Ao final do batismo as reeducandas foram presenteadas com a Bíblia Sagrada.

















quarta-feira, 5 de junho de 2013

DIA DE BELEZA NO PRESIDIO FEMININO SANTA LUZIA EM ALAGOAS



Voluntários da Universal participaram do evento que foi realizado durante todo o dia 27 de Maio no presídio feminino onde,  58 reeducandas  puderam contar com serviços de corte,escova,hidratação,alisamento,sobrancelha,tintura, além dos serviços de manicure,pedicure e limpeza de pele.
Também foi feita uma doação de fraldas para o berçário e distribuição de lanche para as reeducandas .
O grupo de evangelização nos presídios prestou também atendimento espiritual as reeducandas durante o evento ,onde, muitas com lágrimas puderam desabafar e receber orientação.
Todas ficaram felizes e agradecidas, elogiaram o trabalho e a maneira carinhosa como os voluntários tratavam cada uma delas.
Segundo Maria das Dores de Miranda que aos 8 anos de idade perdeu o pai assassinado e tempos depois teve que enfrentar a triste perda da sua mãe, eventos como esse são importantes principalmente para aquelas que não recebem visita,  pois, é muito mais difícil enfrentar sozinha a situação porque muitas são abandonadas pelos familiares disse ela. E ainda: ”Agradeço  a igreja Universal pelo trabalho que realiza aqui para pessoas como nós que são excluídas da sociedade”.
Ao final do evento  a direção do presídio através da pessoa da sra. Samara agradeceu a participação de todos os voluntários e destacou a importância do evento para essas mulheres.









sábado, 13 de abril de 2013

"Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende."Lucas 15.10


13
abr2013

Condenado a 120 anos é consagrado a obreiro



Olá, bispo!
Meu nome é Paulo José França Muniz. Venho por meio deste relato dar o meu testemunho. Este amigo que lhe escreve é um homem que lhe odiava muito, mesmo sem lhe conhecer.
Só de ouvir a sua voz, me transformava no próprio diabo.
Venho de uma família destruída. Minha mãe largou meu pai e logo depois ele se matou. Entrei para a vida do crime aos 9 anos de idade, no estado da Bahia. Muitos da minha família servem aos espíritos malignos.
Lembro uma ocasião em que eu e minha irmã brigamos, e quebrei o braço da minha mãe quando foi nos separar. Daquele dia em diante, minha vida virou um inferno, e acabei me transformando em um assaltante, mesmo estando com 10 anos de idade.
Eu era muito respeitado na vida do crime – roubando e matando. Que eu me lembre, tirei a vida de cinco pessoas.
Com 17 anos, dava muito trabalho aos policiais daquele estado, e minha mãe sofreu muito. Quando ela ouvia falar que estava havendo um tiroteio na região, já sabia que era eu. Ela não aceitava a vida que eu levava. Até que chegou um dia em que a polícia falou para ela que eu não chegaria aos 18 anos.
Aí resolvi parar por alguns meses.
Minha mãe achou que eu tinha mudado. Ela me mandou para São Paulo, à casa do meu tio, para que eu ficasse longe das más companhias.
Chegando a São Paulo, em pouco tempo, já montei uma nova quadrilha com seis pessoas e saí para roubar empresas de ônibus. Aparentemente, estava dando tudo certo, vivendo uma vida de rico.
Enfim, a minha vida aqui em São Paulo ficou 6 anos nessa rotina, até que um dia fui preso fazendo um assalto na usina. As cadeias públicas da região não me aceitavam e nem aceitavam os meus parceiros, porque eles já sabiam que iríamos fugir. Aí me mandaram para o antigo Carandiru.
Me vi ali dentro preso, cheirando ‘farinha’, fumando maconha, igual a um louco. Todo mundo me abandonou. Me vi no fundo do poço. Fui evangelizado por um obreiro da Universal chamado João Gomes. Armei uma armadilha para matá-lo, mas não deu certo.
Eu tinha uma raiva incontrolável do povo da Universal.
Passado uns dias, pedi ajuda a uma denominação, porque não tinha mais coragem de pedir ajuda para o povo da Universal, mas essa denominação fechou as portas para mim, não me aceitando.
Eu me encontrava numa situação que pensava em tirar a minha própria vida, pois já não tinha mais drogas para usar nem família.
Quem me aparece nessa hora de desespero?
Um evangelista da Universal, que foi preso também. Ele conversou comigo e me ouviu, comprometendo-se a me ajudar do jeito que eu estava.
Desse dia em diante criei vergonha e deixei Jesus me ajudar.
Fui condenado a 120 anos de prisão, e estou preso há 15 anos e 5 meses. Mas sou feliz e liberto, pois já faz 14 anos que fui consagrado a evangelista pelo pastor Afonso, que hoje é bispo. Ele acompanhou toda a minha trajetória.
Faço a Obra de Deus com muito amor e dedicação pelas almas. Sei o significado de Jesus na minha vida.
Ah, mas o mais forte vem agora.
Eu já era evangelista em 2001 quando ajudei um companheiro preso, e este me traiu.
Eu havia quebrado o braço de um cidadão, ex-policial aposentado, e coloquei fogo na casa e no carro. Também matei o papagaio dele. Fiz uma barbaridade.
Certo dia, evangelizando dentro do presídio, ouvi um comentário: “Hoje vai morrer um obreiro da Universal...” Porque o filho do ex-policial estava preso também e sabia que era eu que havia feito a tal barbaridade com o pai dele, por isso citaram o meu nome. Eram tantos presos juntos que eu sabia quem iria me matar, mas eles não sabiam, nem me conheciam.
Quem deu meu nome para eles foi esse rapaz que eu estava ajudando.
Eu só orava e jejuava por uma semana.
Fui e conversei com o obreiro João, e o bispo deu uma ordem para que o obreiro me ajudasse. Ele foi conversar com esses ladrões que, na época, faziam parte de uma facção que age dentro e fora dos presídios.
Eles disseram: “Respeitamos muito os senhores, mas o que ele fez é imperdoável!”
O bispo prometeu conseguir uma transferência de presídio no mesmo dia, para não me matarem. Aparentemente, daria tudo certo, mas não fui transferido.
No outro dia, o bispo chegou e me perguntou o que aconteceu para eu não ter sido transferido. Simplesmente respondi: “Para qualquer lugar onde eu for existe carta e telefone. Vão ficar sabendo onde estou e vão dar ordem para me matarem.”
Falei que o meu problema eu iria resolver. Que Deus é Esse que estou servindo?
Mais um pesadelo!
Ele colocou as mãos na minha cabeça e abençoou e me mandou ir. Todos que trabalhavam na Obra de Deus ali naquele presídio se afastaram de mim, porque sabiam que eu ia e não voltaria vivo. Só um resolveu ir comigo.
Chegando naquele pavilhão 7, me deparei com 10 ladrões, todos com facas. Vi a minha morte. Quando me viram, começaram a me xingar, porque passavam todos os dias procurando por mim, mas o próprio Deus me cobria com Seu manto. Já tinha até uma pessoa encomendada para assumir a minha morte no meio daquela confusão, tipo um julgamento, que decidiriam se me matariam ou não.
O telefone de um deles tocou.
Era a mulher dele pedindo para que não me matassem, porque eu também servia a Deus na mesma igreja que ela.
Quando ele passou o recado para os demais, eles insistiam para que me matassem, mas ele disse que obedeceria ao pedido da esposa. Mal sabia ele que obedeceu ao próprio Deus.
Nesses anos todos nada disso me abalou, por esse motivo me dedico em fazer a Obra de Deus cada vez melhor. Estou prestes a ganhar minha liberdade e continuarei fazendo a Obra de Deus aí fora.
Conversava muito com o Marcos Sales, que hoje é pastor e estava preso comigo.
Quando nós conversávamos que seríamos pastor da Universal, os pastores que ouviam diziam que para nós “já era”, porque estávamos com a idade avançada. Mas nós, por dentro, amarrávamos, e hoje o Marcos, com 39 anos, foi consagrado a pastor e é responsável por sete regiões dos presídios.
Eu tenho 38 anos e não quero mais ser pastor, e sim um bispo do presídio, porque sei que com o Deus que sirvo posso ajudar muita gente.
Este é um relato do detento Paulo José França Muniz.

Universal nos presídios
Não importa onde estão, muito menos os seus erros, quando há um arrependimento, sinceridade diante do nosso Deus, o Espírito Santo vem, possui a pessoa, transforma e passa a usá-la como Seu instrumento onde quer que esteja!
A foto mostra seis presidiários sendo consagrados a obreiros dentro do cárcere, no dia 05/04/2013. São nossos auxiliares dentro do presídio.
Graças a Deus!

sexta-feira, 5 de abril de 2013

CULTO DE PÁSCOA REALIZADO NOS PRESÍDIOS DE ALAGOAS

"Guarda o mês de abibe e celebra a páscoa do Senhor, teu Deus; porque, no mês de abibe, o Senhor,  teu Deus, te tirou do Egito, de noite." Deuteronômio 16.1.

Nos dias 26 e 31 de Abril foi realizado um culto especial nos presídios Baldomero Cavalcante e Santa Luzia em Alagoas.O pr. Herlon Mendes ministrou a reunião explicando para os reeducandos o verdadeiro significado da páscoa."A páscoa simboliza a aliança de Deus com o povo que era escravo no Egito, hoje comeremos do pão da libertação e assim como Deus libertou da escravidão do Egito o povo hebreu, também traz hoje para vocês que estão aqui esta liberdade, não só a liberdade física mas, principalmente a liberdade espiritual que vocês tanto necessitam, basta você crer."Na oportunidade os detentos receberam um exemplar do livro Somos Todos Filhos de Deus?.







 

terça-feira, 2 de abril de 2013

UNIVERSAL - AJUDA ESPIRITUAL E SOCIAL À EX-REEDUCANDOS

O trabalho de evangelização da Universal nos presídios vai muito além das grades de uma prisão, os reeducandos uma vez fora do sistema prisional recebem acompanhamento espiritual e ajuda social através de cestas básicas que são doadas pelos membros da igreja.
O pr. Herlon Mendes responsável pelo trabalho nos presídios em Alagoas ressalta que além de apoiá-los espiritualmente para que tenham forças para recomeçar sua vida é muito importante a doação de alimentos devido a dificuldade que muitos enfrentam para conseguir um emprego e sustentar sua família.


Joceli Ramalho(de vermelho),34 anos e 3filhos ficou presa por 2anos e 8 meses."A doação chegou em boa hora!"







Ivone Ferreira da Silva,27 anos,casada,5filhos,ficou detida 9 meses."Estou muito feliz com o apoio da Universal."